Accessibility Tools

terrosole
Category: Fundamental questions12 Dec 2022

Let's change and improve ...

terrosole

Do you want to change, and improve the world?

...

Power and then
Category: Fundamental questions13 Nov 2022

Power and then?

Power and then

We have analyzed various aspects, and many ...

informations
Category: Fundamental questions29 Nov 2022

Some information

informations

Anyone who registers and creates a personal ...

keep calm
Category: Fundamental questions02 Dec 2022

Stay calm be patient

keep calmRegistration, and creation of personal profiles.

...
Who believes all this
Category: Fundamental questions01 Oct 2022

Who believes all this?

Who believes all this

We have to do a short article, in this ...

Business Group
Category: Fundamental questions21 Jan 2023

Who finances you?

Business GroupWhen will you tell us, who had the idea, to ...

Whos in charge here
Category: Fundamental questions01 Oct 2022

Who's in charge here?

Whos in charge here

One of the key things for everyone who visits ...

Why were we born
Category: Fundamental questions01 Oct 2022

Why were we born?

Why were we born

In this article we will explain why we were ...

Work for others
Category: Fundamental questions02 Dec 2022

Work for others

Work for othersOne of our rules requires and obliges anyone who ...

Blog

DirectDemocracyS Blog yours projects in every sense!
Font size: +
39 minutes reading time(7709 words)

Alguma informação

Quem se cadastra e cria um perfil pessoal em nosso site, e depois se junta a nós, geralmente o faz por simples curiosidade, para ver se nossa organização política é tão bonita por dentro quanto por fora. Em vez disso, aqueles que decidem não se juntar a nós tomam essa decisão, devido a uma compreensível, mas injustificada, falta de confiança.

Infelizmente, na Internet existem muitas pessoas, aplicativos e sites que escondem golpes, vírus, chantagens, crimes e muitas atividades ilegais.

Muitas vezes, com desfechos trágicos, como bullying online, prostituição, pedofilia e outras situações desagradáveis e antissociais. Há também muitas pessoas que perdem dinheiro e propriedades. Acontece, por conta de pessoas, ou empresas comerciais, que usam a Internet para conseguir dinheiro fácil, enganando gente boa.

A confiança que pedimos a quem se junta a nós é sempre retribuída.

Se jovens ou especialistas sabem reconhecer e verificar a confiabilidade e segurança de um site, muitos mais velhos ou inexperientes, sem base para distinguir atividades lícitas de ilícitas, lutam para confiar.

Confiar em avaliações, de outros usuários, ou no que você ouve por aí, nem sempre é uma garantia. Muitas vezes, muitas avaliações são falsas, adulteradas e tendenciosas, tanto no sentido negativo quanto no positivo.

Não temos medo de nenhuma verificação, temos certeza de que estamos em ordem, tanto com as Leis quanto com nossa consciência. Também não nos assusta, sem críticas, principalmente se forem negativas. Comentários positivos nos agradam porque mostram apreço pelo nosso trabalho árduo. Podemos garantir que não foi fácil criar tudo isso.

Nosso método de trabalho livre e independente não nos ajuda a nos fazermos amados e apreciados pelos gigantes da web que, conhecendo o enorme potencial de todos os nossos projetos políticos, e não só isso, procuram, por mais que seja possível, desacelerar, porque ao neste ponto, parar é impossível. A bola de neve, que rolou da montanha, tornou-se uma avalanche imparável.

Os gigantes da web, e os motores de busca, não nos ajudam, até porque, nos nossos projetos políticos, pretendemos tirar-lhes todas as vantagens e todos os privilégios, fazendo-os pagar os mesmos impostos que um trabalhador, um pensionista, ou uma pequena ou média empresa. E os faremos pagar impostos, todos eles, exatamente, nas mesmas porcentagens (da população, e dos negócios locais), em cada país, onde residem as empresas, ou usuários, que geram renda para esses gigantes da web. Repetimos, para maior clareza: eles têm que pagar impostos, exatamente, nos mesmos países, onde geram lucros. Chega de paraísos fiscais, nem reduções, porque não éético, para com quem está em dificuldade.

Também não nos ajuda esperarmos eliminar todas as guerras de todos os países, criando um futuro de paz, fraternidade, unidade na diversidade e respeito mútuo para todos os povos da terra. Fabricantes e comerciantes de armas não gostam de se ver arruinados e seus lucros eliminados, para o bem da humanidade.

Nos fazemos odiados, até por todos os crimes, porque pretendemos eliminar todas as máfias, e todas as atividades ilegais, com inteligência, oferecendo oportunidades legais, para que todos possam enriquecer. A legalidade é mais assustadora do que a ilegalidade. Mas não vamos nos limitar apenas às grandes máfias ou aos grandes negócios ilegais, vamos também acabar com todos os pequenos delitos e comportamentos antissociais, mesmo daqueles que acreditam, se comportar em conformidade com as Leis, e transgredi-las, mesmo nas pequenas coisas . Sem nenhum tipo de violência, sem ditadura, mas com inteligência, e com projetos reais e concretos. Faremos com que toda mentalidade errada mude e melhore, simplesmente oferecendo alternativas, para nos aprimorarmos, sob todos os pontos de vista. Uma verdadeira revolução, do ponto de vista cívico, ético e moral.

Até a nossa luta, contra todo tipo de ditadura, monopartidarismo, oligarquia, política partidária, e contra o roubo do poder, e da verdadeira democracia, pela velha e atual política, automaticamente nos cria muitas antipatias. Quase todos os partidos políticos, e quase todos os seus representantes políticos, da velha e da atual política, apoderam-se de todo o poder de decisão (que deveria em tese, e também em nome da própria democracia, pertencer à população), e mantêm-se mesmos, sem merecer. Das mãos, e das mentes, da população, por muitos anos, após as eleições (e sem qualquer possibilidade, por parte da população, de se manifestar, ou se opor, às decisões equivocadas), todo o poder acaba nas mãos, e nas mentes muitas vezes distorcidas de representantes políticos, certamente não eleitos, mas escolhidos, muitas vezes apenas por partidos políticos, com base, por vezes, em interesses financeiros e econômicos. Justificam esse roubo da democracia real, com a incrível desculpa de que a população, com o voto (com os resultados eleitorais), dá aos partidos políticos, e aos seus representantes políticos, o poder de decisão. Mesmo que, na democracia representativa (e, novamente, o nome o explique claramente), com o voto se dá o poder de representação, e certamente não o poder de decidir, no lugar de seus eleitores. São dois conceitos completamente diferentes, representação e cessão de um direito. Os velhos partidos políticos e os seus representantes políticos, muitas vezes servidores do sistema financeiro e económico, nem sempre cumprem as suas promessas, nem sempre, cumprem os interesses de toda a população, muitas vezes traindo a confiança de quem vai votar. Então, eles não merecem todo o poder que tomaram pelo engano.

Portanto, eles não nos amam, pelo contrário, eles nos odeiam e nos temem, todos aqueles que fazem parte da velha política, das velhas finanças (injustas e controladas por poucos), da velha economia , em que muitas vezes as pessoas sem nenhum mérito, são muito ricas, e as pessoas merecedoras são, em alguns casos, muito pobres. Muitas vezes, existem pessoas e empresas comerciais que exploram os trabalhadores e poluem nosso planeta. Mas também há pessoas ricas, graças a especulações, ou fraudes, nas quais ganharam enormes somas, e riquezas, de forma antiética.

Eles não gostam de nós, nem mesmo das ONGs, e das várias agências internacionais (ONU, União Européia e outras instituições relacionadas), que gostaríamos de reformar, e tornar transparentes, colocando em prática o respeito mútuo de todas as pessoas. Queremos também saber, e tornar público, o que acontece a todo o dinheiro, que mesmo quem não tem para si e para a sua família doa voluntariamente, na esperança de resolver os problemas de quem está em dificuldade. Reformas estruturais, reais e transparência.

Ele não nos ama, nem mesmo a informação, que sempre queremos ver livre e independente, sem favorecer ninguém. Muitas vezes dão as mesmas notícias, com várias nuances, e com muitas outras notícias presumidas, que fazem cada um de nós encontrar, ouvir, ver, ler, exatamente o que espera encontrar, ouvir, ver e ler. A notícia deve ser apresentada, tal como aconteceu, deixando a cada utilizador a liberdade de ter uma ideia, sem se deixar influenciar por comentários e alusões e, sobretudo, sem lavagem cerebral, a que muitas vezes assistimos. Com tantas nuances, de uma mesma verdade, costumam gerar ódio e tensões sociais, além de alimentar insultos e grosserias.

Os vários serviços secretos também não nos amam, porque muitos deles não querem que, assim que os nossos representantes políticos entrem nas várias instituições de todos os países do mundo, tornem públicas todas as informações e verdades que os cidadãos faltam há muitos anos, talvez milênios. Mas é nosso dever deixar as pessoas saberem a verdade, mesmo que seja desagradável. Como cidadãos, temos o direito de saber tudo, controlar e verificar todas as instituições. Porque são, nossas instituições, propriedade de todos nós.

O que faremos não se chama anarquia, chama-se democracia, e liberdade, palavras que não deveriam pronunciar os cúmplices da maior fraude da história do homem, a falsa democracia, a representativa, que gera o roubo do poder de o povo, para entregá-lo à política, aos partidos políticos e aos seus representantes políticos. Por isso, decidimos pôr em prática a única democracia autêntica e real, a direta. Com um método inovador, de trabalho interno e externo, que faz dos políticos representantes, servidores, da população, que só com o DirectDemocracyS, volta a ser a mestra e protagonista.

Não seremos solidários com quase nenhuma religião, pois respeitando todas elas, exatamente da mesma forma, e permitindo que nossos usuários acreditem e rezem por qualquer um, nós, todas as religiões, os excluiremos para sempre de todas as nossas relações políticas, financeiras e econômico. Eles devem servir apenas às suas Divindades e certamente não ditar ou influenciar as Leis e as decisões, nossas e de nossos usuários.

Tente fazer um exercício mental simples e útil. Pense em quantas pessoas, instituições, empresas comerciais, empresas financeiras, criminosos e instituições religiosas e sociais, DirectDemocracyS e todos os nossos projetos relacionados irão incomodar ou para os quais criarão enormes problemas, com uma simples atividade política, com nossas regras , e nosso método.

Bem, nós, nós não nos perguntamos se isso acontecerá. Mas vamos nos perguntar, todos, quando isso acontecerá.

Logo, só depende de quão rápido crescemos e como o fazemos.

Com todas essas pessoas, e instituições, que não nos suportam, e que sem dúvida tentarão nos deter por todos os meios, legais, e até mesmo em alguns casos, ilegais, ainda há quem se surpreenda, que nossos primeiros 282 membros , que trabalharam, sozinhos, por mais de 14 anos, e criaram todos os nossos projetos, não coloquem seus rostos neles e não tornem públicos seus nomes e sobrenomes reais, mas apenas códigos criptografados. Não tanto para se protegerem (se fossem pessoas medrosas, não teriam pensado em tudo isso), mas para proteger suas próprias famílias, que não têm culpa.

Agora, somos muitos, e unidos, portanto, parar é praticamente impossível, talvez eles consigam nos atrasar um pouco, e agradecemos a eles por isso. O tempo, para eles, de tentar anular certas coisas, certas provas, certos documentos, é para nós, um tempo muito útil, para nos organizarmos melhor, e podermos ter todo o potencial, para criar um mundo diferente e certamente melhor caminho. Excluir certas coisas não é fácil e, mais cedo ou mais tarde, a verdade será descoberta.

A quem tiver dúvidas se deve ou não se juntar a nós, façamos uma simples pergunta: podemos, todos juntos, fazer pior do que eles fizeram, a velha política, as velhas finanças e a velha economia? Podemos dar-lhe a resposta correta. Jamais conseguiremos fazer coisas piores que eles, se respeitarmos todas as nossas regras, baseadas na lógica, e no bom senso.

Se no início muitos usuários não se cadastravam, porque não entendiam todo o nosso potencial, e nós os entendemos, agora muitos não se cadastram, sobretudo porque acreditam injustamente que nosso projeto é muito complicado, e nós não os entendo. Se explicarmos de uma forma simples e que todos possam entender, eles não devem ter dúvidas.

Apresentamos pouco do nosso imenso projeto. Expomos, sobretudo, os problemas, e apenas parte, das múltiplas soluções, que encontrámos, ao longo de anos de trabalho, todos juntos. Estamos encontrando muitas soluções, mesmo agora, todos juntos. E muitas outras soluções, nós as encontraremos, sempre todos juntos, com quem se juntar a nós, mesmo no futuro.

Os artigos, visíveis apenas para os diretamente interessados, em várias partes reservadas do nosso site, que contêm toda a nossa metodologia inovadora, são muito mais extensos, e com informações muito mais específicas. Mesmo as regras dos nossos vários grupos de trabalho, para além das regras gerais, iguais para todos, têm regras e métodos específicos, sempre diferentes, baseados em necessidades, e em decisões coletivas, votadas pelos membros, diretamente nos vários grupos.

Para saber tudo, e poder copiar nosso projeto, e muitos estão tentando, uma única pessoa deveria passar a vida inteira lendo, obtendo informações, entendendo e tentando recriar todo o nosso trabalho. Mesmo milhares de pessoas, em nossos diversos grupos, dificilmente encontrariam todas as informações necessárias para nos copiar, pois certas regras e métodos definitivos são reservados a pouquíssimas pessoas de confiança.

Além disso, o investimento inicial para criar tudo isso é muito grande. Além das pessoas, também eram necessárias ideias, regras, dinheiro e os meios para ter um site seguro, espaçoso, poderoso, rápido e funcional. Conseguimos ter todos os recursos necessários, graças a muitas doações, gratuitas e voluntárias, de muitos de nossos usuários, mas também de muitos visitantes anônimos. Mas falaremos em um artigo detalhado sobre quanto tudo isso nos custa.

Além do projeto, talvez nossa maior riqueza sejam nossos usuários, principalmente os primeiros corajosos, que se juntaram a nós. Pessoas, que trabalham juntas, coordenadas, de forma unitária, em total liberdade e autonomia. Unitário, em plena autonomia e com total liberdade, parece-te impossível? Entre, confira, e você se convencerá, até lá, terá que confiar na nossa palavra, e de quem já está conosco. Você também pode optar por confiar naqueles, felizmente poucos, que somos obrigados a excluir de nossos projetos. Eles não vão falar bem de nós, obviamente, mas temos todas as provas e todas as razões que nos obrigaram a excluí-los e, em alguns casos, a declará-los persona non grata. Não jogamos nada fora, para poder responder completa e prontamente a cada acusação. Mas vamos escrever um artigo, também sobre medidas de segurança, um com as várias sanções, e também um, com um estudo de caso, dos nossos utilizadores excluídos, e dos vários problemas que têm surgido. Aprender com os erros dos outros, para não repetir os mesmos erros, torna útil até as coisas negativas. Eram quase sempre utilizadores que, por terem cometido um erro, conseguíamos despedir, mesmo que alguns deles tivessem um bom potencial.

Decidimos também responder sempre, mesmo com reclamações regulares, às autoridades competentes, a qualquer tentativa de denegrir a nós, ao nosso trabalho, aos nossos projetos, às nossas atividades, e a cada um dos nossos utentes. Além disso, responderemos integralmente a todas as notícias falsas, que serão divulgadas, por qualquer meio, solicitando danos morais e, em alguns casos, materiais. Usaremos o mesmo método de solicitação de indenização para quem tentar copiar nossos projetos. Criámos, desde o início, uma sociedade comercial, de tipo cooperativo, na qual cada um dos nossos associados, desde o momento da sua inscrição, e enquanto permanecerem connosco, é titular de uma quota individual neste empreendimento político e económico de nosso. Dessa forma, quem copiar, ainda que parcialmente, nossos projetos e ideias, que são marcas registradas, responderá por concorrência desleal, bem como violação de direitos autorais. Sempre o mesmo método será usado contra aqueles que tentam tirar proveito de nossos projetos para obter vantagens não regulatórias e para fins não autorizados. A defesa dos interesses dos nossos associados é para nós fundamental, de forma a podermos garantir, apenas a quem tem direito, as vantagens que inevitavelmente decorrem de um tal universo de projetos. Discutiremos também este aspecto, em certo sentido, polêmico no futuro, em detalhes.

Embora à primeira vista pareça muito complicado, lento, difícil de implementar, tudo é, no entanto, muito simples, intuitivo, rápido, seguro, e com um mínimo de esforço, por parte de todos, para obter os melhores resultados, para o bem de tudo.

Portanto, nosso conselho, para todos, é consultar, somente em nosso site. Você pode fazê-lo, junto com pessoas de sua confiança, que podem aconselhá-lo e ajudá-lo em caso de necessidade. Principalmente os menores, e são muitos, que se juntam a nós, por favor: informem-se, sempre acompanhados dos vossos pais, ou tutores legais, e obtenham deles, a autorização para aderirem a nós, a qual será posteriormente verificada, criteriosamente, sem exceção.

Os idosos devem falar com adultos ou jovens, desde que sejam especialistas, para obter ajuda nas etapas mais "complicadas", tendo muito cuidado com a sua própria segurança, e evitando partilhar os seus dados com quem os ajuda.

Com um pouco de atividade, e com a prática, com o tempo, você verá que é muito simples trabalhar conosco, pois tentamos tornar tudo simples, intuitivo e imediato.

Portanto, nosso conselho é se inscrever, se você gosta do nosso projeto e se sente compatível com todas as nossas regras. Se, por outro lado, você tiver uma única dúvida, leia novamente todas as nossas informações e, se a dúvida persistir, entre em contato diretamente conosco e teremos o prazer de responder a todas as perguntas que não encontrarem resposta em nossos artigos. Iremos responder e esclarecer qualquer dúvida que possa ter, mesmo depois de ler tudo o que publicamos.

Não fique zangado connosco se não lhe respondermos, ou se apenas lhe respondermos com um link, para o artigo que explica em detalhe, a resposta a cada uma das suas questões. Nós nos demos esta regra: explicamos o máximo de coisas possível, nos vários artigos, para evitar ter que receber muitas perguntas. Preferimos publicar todas as informações autorizadas, visíveis a todos, para evitar perda de tempo. Muitas informações são visíveis apenas para nossos usuários verificados e, conforme os casos, membros oficiais, mas dizem respeito a regras internas e métodos de trabalho específicos para esse tipo de usuário. Essas informações confidenciais não podem, de forma alguma, influenciar sua decisão de se juntar a nós, ou não.

Se não respondemos de imediato, mesmo a questões legítimas, é porque respondemos aos visitantes, em prazos mais longos, do que aos nossos utilizadores registados. São pequenas vantagens que oferecemos aos nossos usuários e nos parecem lógicos e normais.

Afinal, para decidir se gosta ou não do que queremos fazer, todos juntos, basta ler o primeiro artigo, na primeira página, do nosso site oficial. A escolha não é difícil.

Se gostar, leia mais, se não tiver interesse, ou não tiver 100% de certeza, pode esperar, e entrar depois, e só quando tiver certeza que quer fazer.

Pessoas indecisas, ou que não estão disponíveis para trabalhar ativamente conosco, não nos ajudam, principalmente nas fases iniciais, onde todos têm que se ocupar.

Muitos nos perguntam, que tipos de trabalhos, e quais atividades, podem ser realizadas após o cadastro. Seria necessário um artigo muito longo, dedicado e detalhado para revelar todas as infinitas possibilidades que existem. Limitamo-nos aos principais trabalhos que quem se junta a nós é obrigado a fazer, fazendo uma pequena lista, com algumas explicações. Para ninguém, a obrigação de estar presente não deve ser um fardo, nem um pedido demasiado difícil de satisfazer. Demora cerca de 20 minutos por dia, ou pelo menos 2 horas no total por semana, para mudar e melhorar o mundo. Fazemos tantas atividades inúteis e desperdiçamos tanto tempo importante que o que pedimos é absolutamente aceitável por qualquer um. Obviamente, cada um administra suas atividades e seu tempo conosco, como bem entender. Você pode passar ainda mais tempo em nosso site, ou em nossas atividades, mesmo ao ar livre, e trabalhar mais, junto conosco. Limitamo-nos a referir apenas alguns, que são obrigatórios para quem se junta a nós. A primeira coisa que todos devem fazer é ajudar e apoiar outros usuários, com suporte, tanto na explicação de certas regras, quanto na colaboração, baseada em nosso método inovador, chamado de "cadeias encadeadas", em que cada pessoa está conectada a outras pessoas, com base em regras muito detalhadas. Cada usuário registrado verificado deverá fazer parte de pelo menos um ou mais grupos de especialistas (no início recomendamos que você faça parte de no máximo 3 grupos ao mesmo tempo), com base em sua formação, ou, com base em seu atividade de trabalho. Nos grupos de especialistas tem que ser especializado, não são admitidos entusiastas ou simples curiosos, mas vamos organizar cursos, para permitir a quem é apaixonado, estudar determinados temas, ou determinados tópicos, e depois do curso, e um exame, em caso de bons resultados, permitir-lhe-emos obter um diploma online, de especialização, e posteriormente, entrar nos grupos de especialistas, de temas, ou temas, que mais o fascinam. Temos todas as possibilidades para todos, porque parece certo cultivar as próprias paixões e talvez desenvolver novos interesses.

Cada um de nossos membros oficiais deve fazer parte de pelo menos um grupo especial, que pode ser de administração, segurança, legalidade e outros tipos de grupos especiais de gestão, de nossa organização política.

Cada usuário registrado verificado deve fazer parte de pelo menos um grupo de trabalho político, com base em suas preferências e habilidades.

Automaticamente, cada um dos nossos membros oficiais está inserido nos grupos geográficos, com base na sua residência, num ou mais países, conforme os casos, ou, em todos os grupos geográficos (com base nas várias subdivisões territoriais), do país de nascimento, ou, em grupos geográficos, de todos os países em que se possua o direito de voto e, conforme os casos, de apresentar-se como candidato. Todos os nossos membros serão colocados em grupos de trabalho geográficos internacionais, continentais, nacionais, estaduais, regionais, provinciais, distritais e locais. Em certos casos, eles também serão inseridos automaticamente nos grupos geográficos, bairros ou quarteirões. Cada um de nossos usuários registrados verificados deve automaticamente fazer parte de nossos grupos numéricos, com base no número de identificação pessoal, atribuído aleatoriamente por nosso sistema a cada novo usuário no momento de seu registro. Em cada grupo, cada um de nossos usuários encontrará muitas atividades para realizar, algumas obrigatórias (como eleger e participar de votações), outras voluntárias, como concorrer a eleições, ou trabalhar, de acordo com seus interesses e preferências, nas diversas áreas de trabalho, de cada grupo.

Cada actividade, no nosso site político, realiza-se sempre, primeiro, de forma voluntária, gratuita, mas com o tempo, posteriormente, podemos decidir contratar, a título permanente, ou mesmo com contrato de trabalho a tempo inteiro, alguns dos nossos melhores membros oficiais. Para aposentados, e para estudantes, temos muitas oportunidades de emprego (na base de prêmios, em dinheiro, em bens ou serviços), sem fazer você perder sua pensão, ou qualquer bolsa de estudos, também com base nas leis dos vários países e preferências individuais.

Cada atividade individual e cada ação executada são cuidadosamente monitoradas e avaliadas por grupos de monitoramento e avaliação de nossos usuários. Será feito um ranking, com os utilizadores mais ativos, com avaliação dos resultados individuais, e dos grupos, a que todos pertencem, para nos permitir promover, e sempre premiar, o mérito individual e coletivo. Também analisamos com muito cuidado o comportamento de cada um de nossos usuários.

A política não é suficiente para você? Quer também ganhar, ou fazer investimentos, temos muitos projetos, em todos os sectores económicos e financeiros. Muitos projetos, todos inovadores, com participação restrita e de caráter voluntário, e todos ligados ao DirectDemocracyS. Cada um dos nossos membros poderá propor projetos individuais, e iremos implementá-los, todos juntos, obviamente depois de analisá-los e avaliá-los, juntamente com os nossos especialistas.

A obrigação de estar presente, de trabalhar conosco e de participar das votações obviamente se refere apenas à atividade política.

Se você se juntar a nós, por favor, não tenha vergonha de ter feito isso.

Muitos, principalmente no início, quando pedimos que divulgassem nosso projeto para outras pessoas de confiança, parentes, amigos e contatos, não o fizeram. Em parte por medo de dar a conhecer a outros um projeto semelhante, esperando poder manter as vantagens e facilidades reservadas aos primeiros que nos unem.

Outros não contam a ninguém, porque ao obterem cargos importantes, esperam então poder promover os seus contactos, criando grupos autónomos, para poderem gerir e controlar de forma autónoma. Com esse comportamento, eles mostram que não entenderam nada do nosso projeto político.

Estamos todos unidos, e quem tenta fazer grupos autónomos não é compatível com a unidade, que é fundamental para obtermos excelentes resultados. Uma pena, muitos deles tinham potencial e agora perderam qualquer chance de fazer um bom trabalho conosco.

Outros, por outro lado, têm quase vergonha, ou medo, de serem ridicularizados por terem encontrado e feito um perfil em nosso site. Fazemos uma pergunta direta: do que você tem vergonha? Que medo você tem? Quem te julga, por se juntar a nós, de forma negativa, certamente não nos conhece. Mas se ele perguntar, se ele se aprofundar, ele vai agradecer por ter lhe dado a conhecer um projeto político com potencial semelhante.

Todas as poucas críticas, que recebemos recentemente, e que recebemos, no curto espaço de tempo, desde que começamos, para dar a conhecer a pouquíssimas pessoas a nossa organização política, de forma selectiva, limitam-se todas a criticar o logótipo, ou o nome, ou site, não muito espetacular. Críticas superficiais e não essenciais. De pessoas que julgam um livro pela capa. Em coisas concretas, como nosso programa político ou nosso método de trabalho, eles não encontram falhas. Se por acaso encontram pequenas coisas pouco claras, ou detalhes insignificantes, assim que os esclarecemos e explicamos nossas razões, eles não têm mais dúvidas sobre o enorme valor do que criamos.

Criticam-nos também, pela forma direta como falamos, escrevemos, e em geral, pela forma como comunicamos, ou pela nossa forma “inovadora” de caracterizar, e criticar, determinados comportamentos, e pessoas, cujo trabalho não partilhamos. Você prefere ser enganado e provocado, com palavras bonitas, ou prefere, em vez disso, saber a verdade, com modos um tanto rudes, mas sinceros? Se você escolher a segunda opção, continue lendo. Caso contrário, pare por aqui, não leia mais nada sobre nós e não se junte a nós, podemos ofender sua sensibilidade.

Eles nos criticaram por termos escrito alguns palavrões em alguns de nossos artigos, que segundo eles não nos honram. Se você ler com atenção novamente, o que escrevemos, criticamos, principalmente a nós mesmos, e nunca insultamos ou criticamos ninguém por ter se comportado bem, mas apenas por ter cometido erros graves.

Dizer coisas, mesmo as desagradáveis, de forma clara e na cara das pessoas, é visto por muitos como uma afronta, ou uma grosseria. Lamentamos, mas preferimos ser honestos, e deixar tudo claro, para não criar dúvidas nas pessoas sobre nossa boa fé.

Cada frase, cada palavra, é cuidadosamente avaliada e escolhida com muito cuidado, para nunca ser trivial.

Jamais poderá dizer, diante de uma regra, ou diante de um fato consumado: não sabia, ou, não esperava.

Se de vez em quando, cometermos algum pequeno erro ortográfico, devido a algum erro de tradução, ou a algum corretor automático, pedimos desculpas, e teremos o prazer de corrigir qualquer erro, se quem o apontar, o fizer com educação, e o conteúdo, e seu significado não é distorcido pela correção.

Disseram-nos que somos presunçosos, que acreditamos ser perfeitos, que pensamos ter todas as soluções prontas, mas se essas pessoas lessem e soubessem tudo o que estamos fazendo, concretamente, entenderiam que temos toda a razão. Temos orgulho do nosso trabalho, e o consideramos bem feito, e felizmente, ou graças a nós, todos os nossos novos usuários também o confirmam.

Conseguimos criar uma nova ideologia, pegando cada pequena parte positiva e eliminando todas as partes negativas de todas as ideologias do passado e de toda a velha política. Não foi fácil juntar tudo, mas graças às centenas de pessoas que trabalharam e ainda trabalham nisso, somos politicamente perfeitos.

O que você vê, que é visível publicamente, para todos os nossos visitantes, é apenas a ponta do iceberg, de um projeto político, cheio de atividades interessantes e muito específicas. Você não pode ver, exceto de dentro, o enorme trabalho que fizemos e estamos fazendo. E no futuro o trabalho a ser feito vai aumentar, mas se crescermos nesse ritmo vai ser mais fácil de fazer, porque vamos dividir em muitas partes pequenas por grupos de usuários.

Connosco trabalhamos em vários grupos, de vários tipos, e cada utente, para além dos mínimos, obrigatórios, apenas faz as atividades que prefere, e aquelas em que é mais útil. Tudo ocorre de maneira ordenada, organizada e precisa.

Claro, só publicamos coisas que são certas, definitivas, propostas, decididas, discutidas, votadas e aprovadas, tanto por quem as fez quanto por nossos grupos especiais de controle. Cada um dos nossos artigos, cada uma das nossas regras, cada uma das nossas propostas é fruto de um trabalho coletivo, de vários grupos de pessoas.

Não gostamos de publicar coisas, e depois ter que pedir desculpas, por ter publicado coisas que não são claras, imprecisas, ou pior, falsas, mas se por acaso o fizermos, pedimos desculpas antecipadamente, e garantimos a você, que será o primeiro, para se desculpar publicamente, e para corrigir quaisquer erros ou imprecisões. Repetimos, quando e se acontecer. Até agora, ninguém nunca reclamou e não houve imprecisões.

Muitas coisas que publicamos incomodam muitas pessoas e muitas instituições, mas só as publicamos se tivermos certeza de sua autenticidade. De qualquer forma, fazendo todas as verificações possíveis.

Nunca ninguém nos pôde acusar de mentir, pela simples razão de que verificamos cuidadosamente, várias vezes, de forma imparcial, diversificada e contínua, todas as nossas fontes.

Procuramos publicar apenas fatos dos quais temos certeza, não fazendo suposições sem sentido, evitando publicar apenas as partes que são úteis para nossa causa. Não está em nosso estilo usar meios legais, mas não é eticamente correto. Não gostamos de receber elogios imerecidos apenas por tirar vantagem dos infortúnios e erros dos outros.

Publicamos sempre todas as críticas que nos são feitas, não por vitimização, mas porque nos parece correcto, dando sempre todas as explicações, para fazer compreender as nossas motivações. Ao explicar as coisas, mesmo as menos agradáveis ou menos convenientes, evitamos mal-entendidos, e aproveitamos as críticas, até para informar corretamente certos detalhes que não foram esclarecidos em nossos artigos anteriores.

Por vezes somos repetitivos, mas desta forma, ao repetirmos várias vezes alguns conceitos importantes, quem se junta a nós sabe como se comportar, e como trabalhar em conjunto com todos nós.

Não gostamos disso, porque não éético fazer lavagem cerebral nas pessoas ou impor ideias.

Nós impomos as regras, e o método, que são e serão sempre respeitados por todos.

Ninguém jamais será excluído, por suas próprias ideias, se apresentadas nas formas, tempos e lugares destinados a exibi-las.

Escrevemos com frequência, porque temos certeza disso, nossa força está na unidade, na diversidade.

Assim, são bem-vindas ideias ou propostas para melhorar cada um dos nossos projetos, sem nunca desvirtuar a sua finalidade, utilidade, estilo, método, regras prévias e significado.

Mas não gostamos de quem vem nos explicar que "o céu é azul", ou de quem vem nos impor seu próprio método ou regras, mudando nossas regras, propostas, já decididas, discutidas e votadas por todos , no interesse de todos.

E acima de tudo, temos pena das pessoas que chegam até nós com frases como: ou faz o que eu digo, ou vou embora. Além de ofender a si mesmo e a sua própria inteligência, mostra-se infantil e pouco confiável. Se não pudermos contar com cada um de nossos usuários, todos faremos com que aqueles que se comportam assim nunca tenham um papel importante em nossa hierarquia inevitável e nunca possam fazer atividades importantes. Certamente não por maldade, ou por vingança, mas gostamos de poder contar com todas as pessoas que se juntam a nós, sendo importante o sentimento de confiança e sempre recíproco.

Quando escrevemos obsessivamente “nós”, não é pelo plural maestatis, mas porque nós, somos muitas pessoas, mesmo enquanto escrevemos este artigo, e cada um dos nossos projetos, é nossa propriedade, portanto temos, várias pessoas, que se unem em tudo o que fazemos.

Em geral, não consideramos confiáveis os políticos que fizeram parte da velha política, e não permitimos que aqueles que concorreram a determinados cargos com outras forças políticas, fazendo parte do antigo "sistema", se recandidatem, juntamente para nós, para os mesmos papéis. No entanto, podem candidatar-se, propor-se ou ser propostos, para outras funções, de gestão política, mas possivelmente não de representação política.

Acima de tudo, não gostamos e não confiamos muito em pessoas que mudam frequentemente de lado, embora reconheçamos que mudar de opinião pode, em alguns casos, ser sinónimo de inteligência, mas também muitas vezes é sinónimo de indecisão, insegurança, oportunismo e interesses pessoais, que, embora legítimos, nos fazem ter reservas sobre quem muda de partido com frequência, ou quem trai ou abandona forças políticas durante a legislatura. Não gostamos muito, mesmo de quem sai de um partido para fundar um à sua imagem e semelhança, sobretudo se o fizer logo a seguir à votação. Esse comportamento demonstra falta de respeito e estima por seus constituintes. Para nós, todos os nossos constituintes são sagrados, pois quase todos serão nossos membros oficiais, portanto, todos farão parte de nossa imensa família. Em geral, odiamos pessoas que "cuspem no prato". Obviamente, há exceções e mudanças motivadas e, portanto, generalizar é incorreto. Cada fato, cada decisão e cada pessoa devem ser analisados, no contexto geral e específico, antes de tirar conclusões precipitadas ou erradas.

Concluímos este longo artigo, com o qual certamente perdemos muitos usuários em potencial, com algumas frases, que nos farão perder até aquela pequena, mas importante porcentagem de interessados, que talvez já se registrassem.

Quando alguém se junta a nós, goza de toda a nossa confiança, estima e respeito. Todo novo usuário começa com as mesmas possibilidades, para alcançar objetivos importantes, como aqueles que estão conosco há muito tempo, mesmo que inicialmente não tenham as mesmas funções. Leva muito tempo para superar as várias etapas, então paciência e muito trabalho, sempre demonstrando que você sabe se comportar de maneira compatível com todas as nossas regras.

Se uma pessoa comete pequenos erros, sabemos ser compreensivos, mas se são repetidos com frequência, sabemos tomar decisões, punir quem não respeita todas as nossas regras.

Se uma pessoa comete um erro grave, praticamente, ela quase não tem chance de se redimir, a não ser, com muito trabalho, e comportamento exemplar, por muito tempo, ter que provar que é confiável. Lamentamos ser rígidos, e fiscalizar continuamente cada um de nossos usuários, mas muitos projetos, mesmo lindos, falham, por falta de regras, e falta de coragem, em punir quem as transgride.

Preferimos evitar problemas e sabemos que ser intransigente desencorajará muitos usuários em potencial a se registrarem e se juntarem a nós. Mas para o bem de todos, devemos ter muito cuidado e desencorajar qualquer atividade potencialmente perigosa.

As vantagens e facilidades reservadas aos primeiros usuários, que confiam e se juntam a nós, começam no momento em que percebemos as capacidades, honestidade, confiabilidade e sinceridade de cada pessoa. Nesse momento, nossos grupos de avaliação, nossos usuários, grupos, que são todos gratuitos, independentes, e compostos por nossos membros mais confiáveis, decidem, "promover", e colocar, cada pessoa, no lugar certo. Mas a confiança e o próprio papel devem ser confirmados, todos os dias, através do próprio trabalho, com os próprios resultados e os do grupo, e através do comportamento individual e dos grupos . Se um novo usuário tiver maiores habilidades, ele pode ser promovido, mesmo em funções mais importantes, ou na mesma função de usuários que estão presentes há mais tempo em nosso projeto. De fato, não é incomum encontrar ainda mais pessoas na mesma função, ou como chefes ou coordenadores de grupos de trabalho. Criar uma competição saudável, honesta, justa e útil entre os vários utilizadores e entre os nossos grupos é uma atividade benéfica que, através da competição, nos permitirá sempre obter resultados importantes. Estamos falando de competição, de vez, não de luta pelo poder, que só gera prejuízo. O importante é o resultado comum, e não a fama dos indivíduos.

Eles também nos disseram que falamos de maneira não profissional e nunca muito técnica. Sabemos que nos acusar de muitas coisas, e até nos condenar, em breve será um "esporte" que muitos praticarão. Mas fazer papel de bobo, tentar menosprezar nosso trabalho, certamente não é um comportamento inteligente. O fato de não usarmos citações com muita frequência (já falamos sobre isso), e o fato de escrevermos de forma simples e compreensível para todos, consideramos isso um elogio. Muitas vezes a política, mas também as finanças ou a economia, falam-nos de uma forma difícil de compreender. Com 2 frases, eles explicam apenas para alguns "insiders", exatamente o que explicamos, para qualquer pessoa (mesmo para pessoas pouco educadas), em 10 frases simplificadas e um tanto "diluídas". Temos orgulho de tudo o que escrevemos, e também da forma como o escrevemos. Quantas vezes, a velha política, zomba de nós, porque acreditamos que certas de suas afirmações estão certas, sem compreendê-las totalmente. Somos inovadores, até nisso, e não para obter votos e apoio de pessoas menos educadas. Fazemo-lo porque consideramos nosso dever fazer-nos sempre entender por quem nos lê, nos ouve ou nos olha. Não fazemos as coisas certas, para obter consenso e para ganhar eleições. Fazemos única e exclusivamente as coisas em que realmente acreditamos.

Recebemos mensagens, nas quais, mesmo pessoas que se juntam a nós, nos imploram para resumir os conceitos, e em parte estamos fazendo isso. Eles nos imploram de joelhos para encurtar os artigos, e nós nos esforçamos para fazê-lo. Você deve ter notado que temos alguns artigos em nosso site que são bem curtos, porém detalhados. Leia frases, como: você tem que resumir, você tem que escrever, em poucas linhas, todos os pontos essenciais. Ou: gente, não tem tempo a perder, não gosta de se aprofundar. Mas também: li as primeiras 20 linhas e depois adormeci. Aqui, muito bem, você nos descobriu, temos um defeito grave, não temos "o dom da síntese". E correndo o risco de nos alongarmos, também desta vez explicaremos as nossas motivações.

Quando todos juntos decidimos entrar na política de forma unificada, além de ter que encontrar soluções para todos os graves problemas da terra, tivemos que escolher um estilo de trabalho e apresentação de nossas ideias.

Tendo encontrado, em suma, a solução para todos os problemas da terra, tínhamos que encontrar uma maneira de manter tudo junto e fazer funcionar o enorme mecanismo de muitos pequenos conceitos. Porque boas ideias podem vir para todos, mas fazer com que funcionem e durem no tempo é mais difícil.

Tivemos que estudar, durante meses, ou em alguns casos até anos inteiros, todos os problemas possíveis, e encontrar todas as soluções úteis, para evitá-los, não apenas para resolvê-los.

Acabamos com dezenas de milhares de páginas de possíveis problemas e centenas de milhares de páginas de soluções, para prevenir e resolver quaisquer "imprevistos".

Não divulgamos nosso trabalho há mais de 14 anos, também por esses motivos.

Problemas, eventos inesperados, prevenção e soluções. No DirectDemocracyS, muitas palavras só funcionam se inseridas na mesma frase, basta pensar no nosso objetivo final: mudar e melhorar o mundo. O verbo mudar, sem o verbo melhorar, não teria a mesma utilidade para toda a população mundial.

O fato de muitas vezes dar detalhes supérfluos, ou, em alguns casos, incompreensíveis para todos, não existe. Dizemos exatamente o que planejamos dizer, nos tempos e nas formas previstas, com o risco de aborrecer ou fazer alguém dormir. Dormir e casar de novo nunca fez mal a ninguém, exceto em alguns casos , em que é uma patologia. Portanto, se nossos artigos longos também tiverem um efeito soporífero, estamos felizes com isso, se for bom para sua saúde. Frequentemente retornaremos a todos esses conceitos, até escrevendo um artigo muito longo no futuro sobre como criamos tudo isso. Parece-nos correcto falar das nossas origens. Como nos parece certo explicar todas as nossas motivações.

Outra coisa que incomoda praticamente todo mundo é uma frase que costumamos escrever, a velha política, espelha exatamente os eleitores que vão votar.

Ninguém pode nos contradizer, quando declaramos, que todos nós (no sentido de nós que escrevemos, e vocês que leem), eleitores das antigas eleições, somos os principais culpados, de todos os males da terra. Você sabe por quê? Porque permitimos tudo isso, sem agir, ou melhor, sem reagir.

Todos nós conseguimos reclamar de tudo, e comentar de tudo, até o mais inútil, principalmente nas redes sociais, para depois continuar a viver, sem levantar um dedo, nem um neurônio, agir, mudar e melhorar, tudo as coisas que não funcionam.

Reclamar, comentar, ser contra o velho sistema político, financeiro e econômico, ter inveja dos ricos e famosos.

Todos nós transformamos redes sociais desde o local onde rastreamos parentes e amigos, com quem nos comunicamos, no banheiro, onde vomitamos, todo o nosso veneno e onde desabafar, toda a nossa raiva reprimida e todas as nossas frustrações.

O interessante é que o velho sistema político, financeiro e econômico não é afetado em nada por nossa “ira social”.

Todas as suas atividades, por horas inteiras, para criar grupos, páginas, postagens e comentários, mais ou menos interessantes, mais ou menos compartilháveis, são inúteis, não mudam e não melhoram o mundo.

Mas já somos todos "viciados em redes sociais", tal como os jovens, e não tão jovens, dos videojogos, como serão em breve, todos aqueles que preferem viver, de forma simples, num mundo virtual, o metaverso, ao invés de trabalhar duro, e trabalhar concretamente, para mudar e melhorar nosso mundo real. Eles vão te dar, de graça, ou por muito pouco dinheiro, um mundo virtual, no qual todos vocês serão ricos, famosos e poderosos. Você terá homens e mulheres para fazer sexo, terá vilas, carros de luxo, campos de golfe e muitas coisas que, na vida real, eles nunca lhe darão.

Eles, pessoas normais e poderosas, vivem na realidade, fazendo você viver, no mundo dos sonhos.

Não temos bola de cristal, mas olhamos para o futuro de forma realista e inteligente. Nesse sentido, o presente jáé aquele futuro de que acabamos de falar. Se é certo ou errado, não cabe a nós decidir. Mas como consideramos errado usar drogas ou beber álcool, ter coragem de nos declarar para as pessoas que nos interessam, e como consideramos errado fazer sexo, sob a influência de drogas ou álcool, porque não lembra nós bem, no dia seguinte, todo sentimento, e erros graves podem ser cometidos, também achamos profundamente errado, viver no mundo virtual, nossa vida real.

Então, não vamos nos enganar, e não vamos mentir, dizendo que nós, e todos vocês, somos os únicos culpados pelo mundo de merda em que vivemos. O velho sistema, muitas vezes pútrido, só tem o defeito de explorar a seu favor todas as nossas fraquezas.

Nós, tendo previsto tudo isso, decidimos agir.

Com certeza não, numa colisão frontal, porque não teríamos chance de vencer, pelo contrário, teríamos perdido desde o início. O velho sistema político, financeiro e econômico teve centenas de anos, senão milênios inteiros, para se tornar imbatível.

Em apenas alguns anos, encontramos outras soluções.

Portanto, todos aqueles "perdedores", que muitas vezes acreditam que podem lutar por ideias compartilháveis, já perderam seu tempo e todas as suas batalhas.

Nós, que somos verdadeiramente inteligentes, encontramos uma maneira melhor, que é a única que funciona. Precisamente, para criar novos caminhos a percorrer, todos juntos. Não um confronto direto, mas uma alternativa, credível, útil para todos, com regras, valores, ideais, princípios, tudo alicerçado na lógica, no bom senso e no respeito mútuo de todos.

Não lutamos contra ninguém, vamos deixar que todos escolham se a inovação útil (portanto nossa) ou a falsa inovação (deles) é melhor.

Somos alternativas, e não inimigos, do velho sistema. E o certo é que crescemos devagar, mas continuamente. Graças a regras rígidas, respeitadas por todos, e métodos infalíveis, não podemos fazer nada de errado. Graças ao trabalho duro e longo.

Por esses motivos, mesmo que haja urgência em agir rapidamente para evitar mais sofrimentos à população mundial, procedemos com calma, cuidado, atenção a cada pequeno detalhe.

Enquanto você, continue postando fotos de gatinhos, ou novos cortes de cabelo, ou continue protestando, e fazendo revoluções, e mudando projetos, e lutando contra o “sistema”, online, diretamente na casa deles (redes sociais, são a casa deles), perdendo um tempo precioso, por coisas inúteis, que não mudam nada, nós, que ao invés disso trabalhamos, só em nossa casa (que é nosso site), gratuitamente, e independentes, trabalhamos todos juntos, para mudar, e melhorar, o real mundo.

Não mudamos, e melhoramos, apenas o nosso mundo, mas o seu também.

Não somos super-heróis, somos pessoas simples que encontram soluções para os problemas, exatamente o que uma força política saudável e inovadora deve fazer.

Então, obrigado a todos, por seus conselhos úteis, mas óbvios, suas críticas, se construtivas, certamente nos farão melhorar, mas nunca mais perderemos um tempo precioso para responder a todos esses detalhes, que são importantes para você, mas que como assim que explicamos nossas motivações para você, elas se tornam irrelevantes. Agradecemos o esforço, mas não fazemos nada, puramente por acaso.

Nós fomos concebidos, por puro acaso, como todos vocês. Mas assim que abrimos os olhos, começamos a trabalhar, não apenas para o nosso bem, mas para o de todos.

Para aqueles que desejam um projeto simples e facilmente compreensível, respondemos com estes artigos longos, claros e detalhados.

O mundo não pode ser mudado e melhorado de forma simples e resumida, mas com cuidado e divulgação de cada detalhe. Se gostas, junta-te a nós, caso contrário, continua a chorar, a reclamar, a indignar-te, a chatear-te, a criar projectos virtuais, e a dar conselhos, nas redes sociais, onde a nossa presença é puramente simbólica, e onde, quase não fazemos actividade.

Não temos e não teremos tempo a perder.

Após a última reunião, com todos os nossos representantes nacionais, de todos os países do mundo, ficou decidido que nunca iremos partilhar os nossos utilizadores, com outras forças políticas, e com outros grupos, nas redes sociais, ou noutros sites web. Resumindo, quem faz política connosco fá-lo apenas connosco, e no nosso site, e não com outras forças políticas, noutros grupos, e noutros sites, ou redes sociais.

Nunca, por qualquer motivo, faremos acordos de grupo, mas apenas individuais, com os nossos potenciais utilizadores. Em vez disso, poderemos delegar alguns de nossos representantes oficiais para manter contatos com outros usuários em potencial, mas sempre, individualmente, e nunca, dentro de outros grupos políticos.

As razões são óbvias, vamos discuti-las em detalhes no futuro.

Obviamente, você pode permanecer, para se divertir ou para se comunicar, em redes sociais e outros sites, mas não precisará realizar atividades políticas, sem ter sido previamente autorizado, e apenas para determinadas atividades limitadas no tempo. Não parece um pedido sem sentido para quem quer trabalhar conosco.

Parecemos rígidos, e muito fechados, no nosso projeto, mas tudo isso é um aspecto importante, para fazer tudo funcionar, e não ficar instável, ou pouco sério, como é grande parte da velha política.

Muitos nos consideram pouco inclusivos e muito seletivos, mas no momento certo, todas as pessoas boas da terra poderão se juntar a nós.

Não todos juntos, mas as pessoas certas, na hora certa.

Assim, 99% da população mundial poderá se juntar a nós. Porque apenas uma pequena porcentagem de pessoas más nunca será compatível com nossas atividades.

Falaremos em outros artigos sobre nossas profundas motivações, que nos obrigam a escolher criteriosamente nossos primeiros usuários. São muitos os fatores envolvidos em muitas das nossas escolhas, incluindo a proteção do nosso planeta, e diversas motivações, que, como sempre, irão surpreendê-lo.

Os apresentados em nossos artigos são escolhas nossas, cuidadosamente avaliadas e consideradas muito úteis, mesmo que muitos não gostem. Para nós, porém, o bem coletivo é sempre mais importante do que algum potencial usuário individual, perdido.

1
Stay Informed

When you subscribe to the blog, we will send you an e-mail when there are new updates on the site so you wouldn't miss them.

Alguna información
Alcune informazioni
 

Comments

No comments made yet. Be the first to submit a comment
Already Registered? Login Here
Thursday, 02 February 2023

Captcha Image

Discover our Latest News

Albert Paine said: "What we do for ourselves dies with us, what we do for others and for the world remains and is immort...

Read More...

Let's get one thing straight right away. DirectDemocracyS loves, respects, protects, helps, and accepts good people, of...

Read More...

Everyone knows that to access our website, after registering, and creating your personal profile, after clicking on the ...

Read More...

THE "WILD LANDS" OF THE DONBAS Donbas has never been talked about as much as now. Yet many had never heard of this indu...

Read More...

All foreign policies are composed of various activities, involving relations, between various countries. For us at Dire...

Read More...

The "style" of our political organization is completely different from that of other political forces. We have often se...

Read More...

When will you tell us, who had the idea, to create DirectDemocracyS? When will you tell us exactly, and in the smallest ...

Read More...

Let's look at some data, on global GDP, for the year 2021. Population 7.888 billion ‎(2021) GDP Per Capita $12,234.80 ...

Read More...
No More Articles

Our mailing subscription form

Welcome Module

Chat Module

All menu